Encuentro Transfronterizo de Profesionales de Museos – Encontro Transfronteiriço de Profissionais de Museus

Museos y Accesibilidad – Museus e Acessibilidades

Perfil dos palestrantes

Francisco Alvarado Cortés

Licenciado em História pela Universidade de Huelva, com Máster de Estudos Avançados em Museus e Histórico-Artístico da Universidade Complutense de Madrid e Máster em Universidade de Arqueologia e Património de Córdoba, Huelva, Málaga e Pablo de Olavide.

Projetou e realizou atividades em museus adaptados para pessoas com deficiências sensoriais e cognitivas.

Membro fundador de CROMA Comissários Culturais, com que foi diretor do projeto ARQUEOTÁCTIL 2.0 – Arqueologia através do toque, que aborda questões de acessibilidade  no ambientes de musealizado. Colabora e forma parte como guia-historiador e arqueólogo da iniciativa tomada pelo Colégio Oficial de Arquitectos de Huelva “Descubra seus fortalezas”, destinadas ao público em geral para divulgar o património defensiva da província de Huelva.

Ana Gómez Díaz

A pós-graduação da Universidade de Sevilha, na geografia e história, com as especialidades da Pré-História e Arqueologia e História da Arte. Mestrado em Arquitetura e do Patrimônio (Marph). Pós-Graduação em Turismo Cultural pela Universidade de Barcelona.

Foi depositado na Universidade da tese de Sevilha intitulada: A Necrópole romana de Carmona. 1881-1930. A implementação em Espanha de uma gestão inovadora do projeto de recursos arqueológicos.
Trabalhando desde 2001 na cidade de Mairena del Alcor jogar relacionados com a reabilitação e reabertura do Castelo de Mairena tarefas atuais: Casa-Museo Bonsor. Castillo de Mairena. Professor de sala de aula Municipal Aberto da Universidade Pablo de Olavide em Mairena del Alcor.
Componente a equipe do projeto Candelargiu Nuraghe, (Sardenha, Itália) organizado pelo Colégio Oficial de Médicos e graduados em Ciências Humanas e Ciências de Sevilha e Huelva, com a participação da Universidade de Sevilha, e da Universidade de Cagliari.

Ismael González Suero

Arquiteto pela Escola Superior Técnica de Arquitectura de Sevilha, especializado em Edificação (1994-2001)

Funda em 2001 seu próprio Estudo arquitetônico em Cortegana com Victoria Guzman.

Entre outras obras, eles tem feito intervenções no património urbano de interesse histórico na província de Huelva, a fim de valorizar o edifício, dando-lhe um uso diferente para fornecer equipamentos para o município.
Em 2014 ele se juntou à iniciativa promovida pelo Colégio Oficial de Arquitectos de Huelva “Descubra seus fortalezas”, destinada ao público em geral para divulgar o património defensiva da província de Huelva, onde executa a função de guia -architeto.

Joaquim Jorge

Antropólogo e técnico superior do Museu Municipal de Loures.

Licenciado e pós-graduado em Antropologia (ISCTE-IUL), desenvolve a sua actividade profissional na área dos museus do Município de Loures. Desde 2006, integra a equipa intermunicipal responsável pela implementação e gestão da Rota Histórica das Linhas de Torres (RHLT), e responsável pela implementação do projeto Educar para Cooperar e as Linhas de Torres e que visa activar este património através da educação para a cidadania global. Coordenou a European Museums Advisors Conference (Loures, 2012).

Faz parte, desde 2014, da equipa do Museu Municipal de Loures responsável pela implementação do projecto Museo Mundial, em parceria com o Instituto Marquês de Valle Flor e o Instituto Politécnico de Leiria, parceiros da Alemanha, Hungria e República Checa.

Tem como propósito desenvolver, testar e implementar 40 ferramentas nos museus europeus, chamando a atenção dos visitantes para os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Alicia de Navascués Fernández-Victorio

Arquiteta pela Escola Técnica Superior de Arquitetura de Sevilha (1987). Especialidade de Edificação e Urbanismo. Destaca em sua carreira profissional sua especialização em Conservação do Patrimônio e em Acessibilidade Universal, Mobilidade Sustentável e Participação Pública.

Tem representado ao Colegio de Arquitetos em a Comissão Provincial de Patrimônio Histórico de Huelva durante vários anos e elaborou o Planejamento Urbano de proteção em áreas declaradas de Interesse Cultural. Tem realizado projetos para restaurar a arquitetura religiosa, civil e tradicional e elaborado Planos Municipais de Acessibilidade, e ensinou vários cursos e apresentações na acessibilidade e mobilidade.

Ganadora do 1º Prémio na Categoría Urbana dos XIII Premios Accesibilidade Universal (2010) . Prêmios convocada nacionalmente pela Fundação para Deficientes Físicos de Aragão, o Colégio de Arquitetos de Aragão, o Colégio de Engenheiros Industriais de Aragão e  e da Colégio Oficial de Engenheiros de Telecomunicações de Aragon.

Entrevista a Alicia de Navascués Fernández – Victorio


Susana Neves

Escritora, artista e investigadora de etnobotânica, é autora do livro Histórias que Fugiram das Árvores – umarboretum português (BytheBook, 2012).

Trabalha na área da educação artística, em contexto museológico.Colaboradora da Casa Museu Anastácio-Gonçalves,  a Fundação Calouste Gulbenkian, desde 1997, o Centro de Arte Moderna, e o Jardim Botânico da Universidade de Coimbra.

Criou atelierscom performance e cenários originais para o Centro Cultural de Belém e Teatro Viriato.

Desde 2010, dirige o projecto de educação ambiental e artística As Árvores que Comiam Papel, cuja primeira edição se realizou a convite do Museu do Douro.


logos15Pt

Anuncios
A %d blogueros les gusta esto: